10º ENCONTRO DE CHÁ DE MULHERES

10º ENCONTRO DE CHÁ DE MULHERES
UNIFÉ

“...a mulher precisa resgatar em Deus a sua verdadeira identidade

“...a mulher precisa resgatar em Deus a sua verdadeira identidade
“...a mulher precisa resgatar em Deus a sua verdadeira identidade de filha amada, capacitada pelo Espírito e chamada a uma vocação pessoal e intransferível”.

VENHA NOS FAZER UMA VISITA!

IGREJA PENTECOSTAL CASA DE ORAÇÃO


APAIXONADA POR JESUS E ELE POR MIM

VOCÊS NÃO IMAGINAM ...

como fiquei feliz ao recebe-las no nosso 10º Encontro de chá de Mulheres Unifé.

Saibam que vocês são PESSOAS QUE ADMIRO muito,

são
REALMENTE ESPECIAIS,

e recebe-laS fez o meu dia muito mais feliz.

Tomara que a gente continue assim,

sempre trocando gestos de
AMIZADE e CONSIDERAÇÃO.

Acho que a gente deveria viver assim,

DISTRIBUINDO PALAVRAS AMIGAS

e fazendo com que o amor se alastre pelo mundo atraves da confraternização,

por isso não devemos PERDER nenhuma oportunidade

de manifestar bons sentimentos.

SEJAM ABENÇOADAS ...

Quantos cristãos, nestas eleições, quebrarão princípios bíblicos?

Um deles está no Livro de Deuteronômio 17:14,15. Lá nos diz o SENHOR: "Quando entrares na terra que te dá o SENHOR, teu Deus, e a possuíres, e nela habitares, e disseres: Porei sobre mim um rei, assim com têm todas as nações que estão ao redor de mim, porás, certamente, sobre ti como rei aquele que escolher o SENHOR, teu Deus; DENTRE TEUS IRMÃOS PORÁS REI sobre ti; NÃO PODERÁS PÔR HOMEM ESTRANHO SOBRE TI, QUE NÃO SEJA DE TEUS IRMÃOS." Que não soframos as consequências de nos faltar entendimento!!!

É MUIIIIIIIIIIIIIIITO LINDAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!

É MUIIIIIIIIIIIIIIITO LINDAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!
EU QUERO UMAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!

Aprovado tratado entre Brasil e Vaticano

Aprovado tratado entre Brasil e Vaticano

Aprovado tratado entre Brasil e Vaticano


Aprovado tratado entre Brasil e Vaticano

Sex, 28 de Agosto de 2009 08:32
BRASÍLIA - Um inusitado acordo entre católicos e evangélicos permitiu a aprovação nesta quarta-feira do tratado celebrado entre o governo brasileiro e o Vaticano. Depois de quatro horas de discussão, o texto foi aprovado por votação simbólica. Ainda será votada a Lei Geral das Religiões, de interesse dos evangélicos, como compensação.
Os opositores do tratado argumentaram que trata-se de um privilégio para a Igreja Católica e que o documento fere o princípio da laicidade do Estado. Os evangélicos fizeram discursos contra, apesar do acordão para aprovação do projeto, o que só ocorreu depois de quatro horas de discussão.
- É um privilégio para apenas uma religião em detrimento às demais - disse o evangélico Takayama (PSC-PR).
O texto da Lei Geral das Religiões é uma cópia do tratado do Brasil com a Santa Sé. A única diferença é que a expressão Igreja Católica é excluída ou substituída por "todas as confissões religiosas". O tratado entre Brasil e Vaticano é um acordo internacional e não pode ser modificado pelo Congresso, que o aprova ou o rejeita na íntegra. Um dos pontos mais polêmicos envolvia o ensino religioso. Para os evangélicos, o tratado prevê que as escolas adotarão o catolicismo nessas aulas. O Ministério da Educação chegou a se pronunciar contra esse artigo, com este mesmo receio.
Antes da votação, o autor da Lei Geral, George Hilton (PP-MG), circulava tranquilo pelo plenário, certo do cumprimento do acordo.
- Já está combinado: aprovamos o deles e eles aprovam o nosso - disse Hilton.
Eduardo Cunha, ligado aos evangélicos e relator do projeto da Lei Geral das Religiões, foi o principal artífice da negociação. Ele conseguiu número de assinaturas de líderes suficientes para dar caráter de urgência ao texto. Indignado, Chico Alencar (PSOL-RJ) criticou o acordo entre católicos e evangélicos.
- É um acordo que libera de vez o mercado da fé. Uma demonstração de que amam mais o dinheiro que a Deus - disse.
Fonte: O Globo

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

“O PERFIL DA MULHER CRISTÔ

http://www.missionariafatimaribeirounife.blogspot.com/


Texto Base: I Timóteo 2: 9-15.

9 – Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos,
10 – Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.
11 – A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição.
12 – Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio.
15 – Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação.

Esse texto ensina três lições à mulher cristã.

a) A postura e apresentação da mulher na Igreja. (VS. 9,10).
b) A autoridade da mulher na igreja. (Vs. 11,12).
c) O comportamento da mulher, como mulher (fêmea). (Vs. 15).

Estas três lições descrevem o perfil da mulher cristã:

1) A postura e apresentação da mulher na igreja.

Palavra chave: “honesto”.

a) Traje Honesto. Honrado, digno, decente.

A postura da mulher deve ser de “MULHER HONESTA”. Honesta significa digna, descente, não faladeira, que não entra em bate boca, nem contendas, que não diz palavrões, recatada. Seu traje deve ser diferente do traje das rameiras desonestas. O traje, ou seja, a roupa de uma pessoa, seja mulher ou homem, faz parte da própria pessoa, revelando seus sentimentos e sua personalidade. Por isso, a mulher cristã, deve ter postura de cristã, mostrando honestidade em tudo inclusive em seu traje.

Com “PUDOR” Sentimento de vergonha, de mal-estar, gerado pelo que pode ferir a decência.

2) A autoridade da mulher na igreja.

Palavra chave “modéstia”.

a) Com “MODÉSTIA” Simplicidade.

Tal simplicidade refere-se a uma conduta respeitosa e submissa à sua liderança, tendo em honra a todos, principalmente àquelas que antes de si, sejam promovidas.

Se unidas as três qualidades: HONESTIDADE, PUDOR E MODÉSTIA, a lição é que: “a mulher se comporte com decência tendo o cuidado de não se expor à vergonha”. Assim, a autoridade da mulher na igreja ou mesmo na sociedade não precisa ser reprimida ou proibida; porque a honestidade, o pudor e a modéstia da mulher cristã farão que ela conquiste respeito e confiança que lhes darão respeitosa autoridade.

Analisadas as duas primeiras lições, concluímos que a autoridade da mulher cristã, bem como de qualquer cristão, na igreja, é conquistada, atendendo, da sua liderança, a convocação ao trabalho e se dedicando ao exercício de suas tarefas com persistente vida de “honestidade, pudor e modéstia”.

3) O comportamento da mulher, como mulher.

Palavra chave, “pudor”.

a) Dar a luz filhos.

Desconsiderados os meios de concepção artificial, a mulher só pode conceber um filho pela relação íntima com um homem. Essa relação e a criação dos filhos devem ser com PUDOR E MODÉSTIA para que ela não se exponha à vergonha e conseqüentes escândalos.

No versículo 15, a expressão, “se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação”, infere-se que a mulher cristã não conceberá filho, enquanto solteira, nem por traição, quando casada. Esse comportamento pudico aliado à honestidade e a modéstia, dará à mulher cristã autoridade ao falar, quer seja aconselhando, exortando ou disciplinado.
 
TEMPLATE ERROR: Invalid data reference post.url: No dictionary named: 'post' in: ['blog', 'skin', 'view']